Uma Dose Gamer – Hackear nunca foi tão legal

‘’OLE OLE OLE OLA, OLE OLE OLE OLA’’ É no ritmo dessa grande musica inspiradora e muito bem composta que a coluna de tema mais nerd possível no blog mais nerd possível retorna para a telinha do seu PC/Tablet/Smartphone/TV/MP3/DiscMan. Com uma vida corrida de desempregado e falta de verba, a mente doentia que vos escreve penou pra conseguir jogar o game que vamos esculachar a seguir. Agradeço a pirataria e ao meu chefe na ajuda pelo enfim ‘’noite da jogatina’’ com uma maratona de Watch Dogs, regada a macarrão, vadias, Black Sabbath e oxigênio. Agarre seu Samsung Galaxy, inicie seu hacker na conta bancaria mais próxima e sim, VAI TER COPA!

Ubisoft… O que dizer dessa desenvolvedora que mal conheço e já considero pacas? Sei que vocês curtem esgotar ao máximo suas franquias Assassin’s Creed feelings, mas mesmo assim, me digam que não vão fazer isso com seus novos games. Atrasos, marketing e mais marketing e muita especulação rolou sobre Watch Dogs, o seu mais recente lançamento. Considerado o ponto forte para lucro da Ubisoft para esse segundo semestre, o game chega com uma premissa de popstar, mas que não vale assistir a um show completo.

Somos apresentados ao protagonista, Aiden Pearce, um hacker conhecido e respeitado na cidade de Chicago e mais conhecido como O Vigilante. Após a morte de sua sobrinha em um acidente de transito, Aiden parte em busca de vingança, se infiltrando em esquemas criminosos e combatendo a rede de tecnologia da cidade de Chicago, a ctOS. Com ajuda de alguns amigos e seu poderoso celular que tem a capacidade de adentrar em qualquer sistema operacional, Aiden se adentra no mundo dos hackers mais e mais, criando mais inimigos do que desejava.

A premissa do jogo é simples: Você é um hacker, logo, seus métodos de cumprir missões e enfrentar os perigos a frente serão os mais intelectuais possíveis. Poderia ser apenas essa merda o game, mas ai seria chato pra caralho. Quem jogaria um game sem tiros e corridas? Em certas missões ao longo do game, o jogador tem mil modos de como deseja enfrenta-las, desde sendo sorrateiro hackeando sistemas ou largando o aço em geral. Essa ideia de métodos hackers é inédita em games, o que em Watch Dogs temos uma sensação de ‘’fase beta’’, pois todos sabem que a Ubisoft não vai sossegar com apenas um jogo dessa nova franquia.

No começo tudo é legal, divertido e tal, mas ao longo do game, a ideia de hacker se torna muito repetitiva e simples, fazendo o jogador buscar métodos primitivos de resolver as missões aka GTA do game. Um fato marcante é o game não ter vergonha em mostrar as suas principais referencias ao ter sido desenvolvido. GTA é com certeza um dos grandes inspiradores nos modos de missões e explorações do mundo aberto, sem contar o tão conhecido estilo eternizado em Assassin’s Creed e Far Cry.

A interatividade do modo single player com o multiplayer é com certeza o mais divertido do game. Não tem como não entrar em desespero ao você estar de boa na sua campanha e de repente um hacker invadir seu game e começar a roubar seus dados. O desespero em tentar encontrar o FDP é totalmente hilário! Com a conexão do game a internet, você tem o livre acesso a games de pessoas ao redor do mundo, podendo se infiltrar no game deles e roubar seus dados, tudo sem troca de telas, ou disputar corridas, fugas, contratos mercenários entre outros. Esse método online pode ser uma previsão do que pode vir em The Division.

Vou te hackiei

Vou te hackiei

Os gráficos em si podiam ser mais explorados. Quedas de taxas de quadros são presentes e os tão famosos bugs. Tudo bem que a versão utilizada no teste do game foi de Xbox 360, mas mesmo assim, uma exploração melhor graficamente na cidade de Chicago poderia ter sido melhor trabalhada – Sleeping Dogs manda beijos.  A produção dos personagens a construção dos elementos de interação com eles são muito bem representados, com uma harmonia perfeita na dublagem para versão brasileira.

Em si, Watch Dogs junta toda a história dos games de mundo aberto e acrescenta um novo método de jogabilidade. A função hacker inovou o mercado, abrindo porta para novos games franquias esgotadas  em combinação com esse novo estilo multiplayer. A Ubisoft trabalhou tanto e atrasou tanto esse game com a desculpa que era pra sair perfeito, que espero um melhor projeto e desenvolvimento para uma futura continuação. Junte-se ao Em Sena na luta contra as franquias anuais e que a Ubisoft aprenda com a Rockstar, mas mesmo assim, Watch Dogs não deixa de ser viciante e prender a atenção do jogador do inicio ao fim.

 

Obs.: Os mini games são sensacionais. Vale muito a pena a perda de tempo jogando eles. Boas risadas são tiradas.

Obs.2: A diversão maior é conferir os dados das pessoas nas ruas com o seu celular. Easter Eggs podem ser encontrados.

Victor Hugo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s